Loader Website
Sobre
Notícias
Fórum
Contactos
Precisa de ajuda?
Área Reservada

Questionário de Pensamentos Automáticos – Revisto (ATQ-R)

Nome do instrumento (versão portuguesa): Questionário de Pensamentos Automáticos – Revisto (QPA-R)

Nome do instrumento (versão original): Automatic Thoughts Questionnaire-Revised (ATQ-R)

Autores e data (versão portuguesa): Pereira, I. M., Matos, A. P., & Azevedo, A. (2014).

Autores e data (versão original): Kendall, P. C., Howard, B. L., & Hays, R. C. (1989).

Descrição geral: O questionário avalia a frequência de pensamentos automáticos positivos ou negativos, relacionados com a depressão. Apresenta uma escala de resposta Likert de 5 pontos, que varia entre 0 (“nunca”) e 5 (“sempre”). A nota global e o total de cada fator são obtidos através do somatório. Pontuações mais altas traduzem-se em níveis superiores de pensamentos automáticos.

Número de itens: 36 itens

Fatores:

 ● Pensamentos automáticosnegativos  

o Autoconceito baixo/ negativo e expectativas negativas (12 itens) 

o Mau ajustamento pessoal e desejo de mudança (15 itens)

● Pensamentos automáticospositivos (9 itens) 

Resumo de dados psicométricos: O questionário foi estudado numa amostra de 245 adolescentes, com idades entre os 14 e 18 anos. Os resultados indicam uma estrutura trifatorial, ao contrário da estrutura original de quatro fatores. Foram obtidos muito bons valores de consistência interna para a nota global (.96) e para os fatores autoconceito baixo/ negativo e expectativas negativas (.93) e mau ajustamento pessoal e desejo de mudança (.93) e um valor bom para o fator pensamentos automáticos positivos (.89).

Referência (versão portuguesa): Pereira, I. M., Matos, A. P., & Azevedo, A. (2014). Versão Portuguesa do Questionário de Pensamentos Automáticos-Revisto: Relação com sintomatologia depressiva em adolescentes. Psicologia, Saúde, & Doenças, 15, 36-46. https://bit.ly/3chHGxb

Referência (versão original): Kendall, P. C., Howard, B. L., & Hays, R. C. (1989). Self-referent speech and psychopathology: The balance of positive and negative thinking. Cognitive Therapy and Research, 13, 583–598. https://doi.org/10.1007/BF01176069

Utilizamos cookies próprios para lhe oferecer uma melhor experiência. Para saber que cookies usamos e como os desativar, leia a política de cookies. Ao ignorar ou fechar esta mensagem, e exceto se tiver desativado as cookies, está a concordar com o seu uso neste dispositivo.